Notícias

Procure seu seminovo e usado
Refine sua busca
Mercado nacional de vendas de caminhões espera aumento de 25%nas vendas em 2018; otimismo contagia empresários

Depois de um 2017 tímido em relação às vendas, o mercado nacional de caminhões deve se recuperar em 2018. Entre os fabricantes, a expectativa para este ano é de um avanço de 25% na comercialização de pesados. E o clima de otimismo da indústria já se espalha para outros setores, como é o caso da Rodoviário Max Cargo, com sede em Contagem, na região metropolitana de BH. A transportadora recentemente investiu cerca de R$ 3,5 milhões na compra de dez unidades do modelo Iveco Hi-Way 800S48 6×4 e espera por um crescimento de 35% no faturamento, graças aos novos contratos fechados pela empresa para atender dois grandes clientes, a Usiminas e a Magnesita.

“Nós estamos otimistas. Apesar da crise, fechamos o ano passado com um faturamento 5% maior”, comemora o proprietário da Max Cargo, Antônio Vicente Oliveira Miranda. Mas nem tudo são flores. “O custo cada vez maior do combustível tem pesado demais na conta das empresas. Fora isso, tem a alta burocracia para conseguir licenças e autorizações para trabalharmos”, lamenta Miranda.

Cliente Iveco desde 2008, a Max Cargo já tinha quase a metade de sua frota de modelos composta por veículos da marca italiana. De acordo com o dono da transportadora, o atendimento pós-venda sempre foi o principal motivo para ele dar preferência aos modelos da Iveco.

“Tanto da concessionária Deva Iveco, em Betim, como da fábrica, a Iveco tem um suporte, um apoio ao cliente muito melhor que as outras marcas de caminhões. Eu consigo resolver tudo com agilidade, até via WhatsApp. Tem marca que a gente fica dias, semanas (esperando) ou nem sequer tem resposta do problema”, conclui o empresário.

Fonte: SUPER MOTOR – 07 de Fevereiro – Igor Veiga